Seis passos simples e eficientes para fazer o seu negócio decolar!

 

Expert em finanças e empreendedorismo, a jornalista Carol Sandler compartilha dicas imperdíveis para mulheres que querem se aventurar no mundo dos negócios e administrar melhor as finanças. Confira as dicas da Carol para montar o seu próprio negócio:


 
MERCHANDISE_PLANNINNG_hand.jpg
 
 

Quem nunca quis ser a sua própria chefe? Ter controle da sua rotina, autonomia e trabalhar com o que ama. A opção é ainda mais atraente para as mulheres, não só por ser uma forma bacana de ter mais equilíbrio entre carreira e família, mas também por ser um caminho que pode trazer muito mais ganhos financeiros – e sem diferença salarial. Parece um sonho mesmo, mas dá para fazer.

Eu mesma fiz. Lancei em 2012 o Finanças Femininas, a primeira plataforma online de educação financeira e empoderamento econômico feminino. Desde então, o que nasceu como site virou também um canal no YouTube, um perfil bacana no Instagram, dois livros, duas palestras TEDx e um quadro no programa SuperPoderosas, da TV Band, chamado “Carol, cadê meu dindin?”. Faço tudo com muito amor e tenho visto o meu negócio decolar.

Mas por onde começar?

Para te ajudar, montei um passo a passo para você seguir e poder construir o seu próprio negócio. Confira:

 

Sugestão de look girlboss by Carol Sandler

 

1. MONTE UM PLANO DE NEGÓCIOS
Ter paixão é fundamental, mas sozinha ela não resolve tudo. Na hora de avaliar se existe mesmo uma oportunidade de mercado, a melhor ferramenta para te ajudar é o plano de negócios. Você vai precisar pesquisar bem sobre aquele mercado, conhecer seus concorrentes, desenhar estratégias e, principalmente, ver quanto dinheiro você vai precisar para lançar sua empresa e qual é o potencial de retorno. Vale a pena investir um bom tempo neste passo – ele é determinante para o seu sucesso.

 

2. GUARDE DINHEIRO
É quase impossível lançar um negócio sem um investimento inicial, mas em alguns casos até dá para fazer. No entanto, o que pouca gente lembra é que é essencial ter um dinheiro guardado para pagar as suas contas pessoais até você começar a faturar. É natural que os primeiros meses de vida da empresa tenham um faturamento baixo, e você não pode morrer na praia. Se possível, prepare-se para juntar dinheiro suficiente para bancar a sua vida nos primeiros seis meses de vida da sua empresa.

 

3. TENHA UM BELO CAIXA
Os negócios não quebram por prejuízo, mas sim por não terem dinheiro para poder pagar as contas. Por isso, você precisa calcular quanto dinheiro precisa ter guardado em caixa para poder pagar salários, fornecedores e tal, sem precisar recorrer a um empréstimo.

 

Sugestão de look girlboss by Carol Sandler

 

4. ABRA UMA CONTA PJ E TENHA UMA PLANILHA
Mesmo que você não tenha formalizado a sua empresa, você precisa abrir uma conta bancária separada para o seu negócio. Muitas “eupreendedoras” optam por manter tudo junto e misturado, alegando que é mais barato e prático assim – mas a verdade é outra. Existem contas digitais gratuitas tanto para pessoa física quanto jurídica, e com tudo separado fica mais fácil de visualizar o estado real das finanças da empresa – especialmente se você tiver uma planilha para te ajudar a manter o controle. Ao anotar todos os pagamentos e recebimentos, você tem um termômetro do seu negócio. Consegue entender o seu lucro e avaliar o seu crescimento. Essencial!

 

5. ESTABELEÇA O SEU PRÓ-LABORE
Empreendedor não tem salário, tem pró-labore. Esta grana é a sua remuneração pelo trabalho realizado. Imagine que você iria contratar alguém para exercer a sua função no dia-a-dia da empresa. Quanto você pagaria de salário a ela? Este deve ser o seu pró-labore. Semestralmente, você pode fazer a distribuição de lucros, que é a sua remuneração de empreendedora – entendeu a diferença? É neste momento que você de fato ganha a maior parte do seu dinheiro. Você só precisa garantir que tem mesmo um lucro, ok?

 

Sugestão de look girlboss by Carol Sandler

6. DÊ O SEU MELHOR
Pode parecer que vida de empreendedora é puro glamour, mas não é bem assim. Hoje em dia eu trabalho muito mais do que quando tinha carteira assinada e tenho muito mais responsabilidades: pagar salários, produzir um conteúdo que nossas clientes leitoras e seguidoras amem e atender bem aos nossos clientes. O peso é outro, e o nível de comprometimento também. Por outro lado, dou sempre o meu melhor e não paro de pensar em como posso fazer o Finanças Femininas crescer. Esta dedicação tem um outro sentido para mim – e trabalhar fica muito mais fácil, mesmo naqueles dias de ficar fazendo toda a parte chata (porque ela sempre vai existir). Se você se entregar desta forma e seguir os passos que recomendei, tenho certeza que o sucesso virá com mais facilidade!