Má Tranchesi conta como seu guarda-roupa mudou depois de emagrecer

 

Convidamos a influencer Marcela Tranchesi para contar como seu processo
de emagrecimento impactou seu estilo - e quais dicas valiosas ela tem para um
guarda-roupa atemporal. Olha só:

 
marcela_tranchesi.jpg
 

Sempre fui a maior defensora da felicidade e auto-estima, porque beleza vem de dentro e é muito mais do que um número na etiqueta da calça ou no visor da sua balança. E isso não muda – brilho no olhar e alegria de viver sempre serão os maiores diferenciais! Mas, sim, seria mentira se eu dissesse que minha auto-estima e relação com meu corpo não mudou – pra melhor!

É muito louco emagrecer muito  e “mudar” o corpo porque tudo fica esquisito – eu não percebia, enquanto estava emagrecendo, como perdia peso rápido. Na balança, sim! Mas a diferença nas roupas não era tão obvia – todo mundo tem aquela calça jeans que serve com 3 quilos a menos ou 4 a mais. E eu tava sempre num intervalo onde a roupa estava justa ou discretamente larga, nada além disso. E tudo bem.

Um dia, indo pra um evento, fui escolher um look: levei 1 hora e meia, não achava nada que servisse, comecei a me irritar e coloquei uma saia antiga, de uns 8 anos atrás que nunca mais tinha usado. Resultado: a saia caía, passei o evento todo segurando a saia enquanto caçava um alfinete fraldinha pra me ajudar.

Depois disso, decidi que já tinha passado da fase “roupa larguinha” pra realmente não ter mais roupas no meu armário do meu (novo) tamanho. Bateu um mini pânico com a possibilidade de perder todos os meus tão amados e queridos looks comprados ao longo de muitos anos e cheios de história (sou super hiper mega apegada a memórias e lembranças ligadas às roupas que estava usando) então segui pra ideia 1: ajustar tudo! Chamei uma costureira e mãos à obra: marquei 40 calças e mais umas 30 peças. Algumas se salvaram, mas no geral foi um grande erro – gastei um dinheirão e as calças perderam a modelagem completamente, as costuras todas saíram do lugar, porque as peças no ajuste tem um limite de até 2 tamanhos, senão fica tudo muito fora de lugar. O que se salvou, fiquei. O que não tinha salvação, doei.

Na hora das compras, percebi como estava diferente: aceitando mais as tendências que, embora achasse lindas, nem sempre favoreciam antes. Sempre amei cropped, mas era algo que não me aventurava a usar – hoje amo, uso e abuso! Nunca me escondi ou tapava tudo, mas fui gostando mais de usar regatas, marcar a cintura, abusar de um decote ou recorte interessante e mais fun. Ainda tem algumas tendências e roupas que não uso: nem tudo fica bom e valoriza todos os formatos de corpo – e hoje aprendi a destacar e marcar o que gosto mais em mim e brincar com isso! Junto veio amadurecimento, passei por um 2018 maravilhoso e cheio de trabalho que me fez mais confiante também profissionalmente. E a verdade é que nosso estilo e escolhas são um reflexo de como estamos por dentro!

 

Dicas da Má Tranchesi para um guarda-roupa à prova do tempo:

 
Ma_Tranchesi_01.gif
Ma_Tranchesi_02.gif
Ma_Tranchesi_03.jpg