Cinco mineiras talentosas que você precisa conhecer

 
 

Não precisamos ser caça-talentos para saber quando passamos perto de um - ou uma. Nossa ida a Minas Gerais para abertura de nosso primeiro Guide Shop em Belo Horizonte, no BH Shopping, rendeu um encontro especial com cinco mulheres incrivelmente talentosas, cada uma em sua área, mas todas conectadas com o mundo das artes. Em um editorial feito a quatro mãos com direção criativa da AMARO e do Blume (saiba mais sobre o projeto lendo o perfil de suas criadoras abaixo), é impossível não ficar encantando com a criatividade e simpatia que só as mineiras têm. Confira:

 
 

MARIEL DODD(@marielDodd)

Foi através de sua mãe que Mariel Dodd entendeu sua verdadeira vocação: criar imagens de um jeito inusitado, fora do padrão. Aos 28 anos, hoje atuando como diretora de arte, a designer de formação encontrou no trabalho de sua mãe, uma artista plástica, inspiração para seguir a carreira. "Ela é minimalista e clássica em suas expressões, enquanto eu sou maximalista e colorida. Ela Sempre me incentivou a ser independente e a trabalhar com o que fazia sentido para mim”, diz. Mariel iniciou sua caminhada já nova, ajudando na loja de móveis vintage dos pais, a Pé Palito. “Eu os ajudava coletando alguns itens de garimpo que não tinham saída para o público deles. No final, acabei unindo todos esses objetos em um site chamado Arq. Arquivo e, desde então, não parei de trabalhar no digital", explica. Com a chegada das redes sociais, ela aproveitou para para consolidar sua carreira no mercado criativo. “Junto com a minha sócia e amiga, Eliza Guerra, criamos o Bingo, estúdio criativo e estratégico que desenvolve storytelling para marcas que trabalham diretamente com as redes sociais”, conta. Já são três anos de estrada com o estúdio e Mariel não para. "Além do Bingo, trabalho em paralelo com o Blume, projeto autoral de fotografia de flores e mulheres idealizado por mim e Maria Cândida. A ideia é inspirada no projeto de Instagram pessoal da Eliza, e focada em experimentação criativa". Os editoriais criados com flores, no entanto, não tem nada de sensíveis ou frágeis - pelo contrário, a ideia aqui é trazer um apelo forte e inusitado nas composições para traduzir um novo conceito de feminino. "Superamos as expectativas no romantismo com elementos irreverentes e personagens interessantes, cheias de personalidade e atitude."

 

MARIA CâNDIDA (@maria_candida)

Terceiro pilar do Blume, a stylist mineira Maria Cândida conta que começou despretensiosamente a trabalhar no ramo. Formada em moda pela FUMEC, Maria completa apenas quatro anos de carreira com muitos trabalhos incríveis na conta. “Comecei a trabalhar para marcas de amigos, fui assistente em uma revista de moda renomada e até já fiz styling para aniversários de 15 anos. Fui descobrindo minha vocação aos poucos e de forma orgânica. Quando vi, já estava no mercado", relembra ela. Assim como Mariel, sua mãe foi a maior fonte de inspiração para seguir a carreira de stylist. "Sempre observei a forma como ela se vestia. Quando cresci, começamos a misturar nossos guarda-roupas e, quando dei por mim, já estávamos dividindo dicas e looks", relembra. Em meio a tanta inspiração, Maria entendeu a única regra do jogo: não há regras quando o assunto é estilo. "Em meus trabalhos, entendo o jeito da pessoa e suas preferências. Conheci tantos estilos diferentes que percebi que a graça é você ter um leque de opções e não se manter no padrão. O segredo do look perfeito é colocar sua personalidade no que você veste", explica. Para a próxima temporada, Maria aposta em "conforto, mistura de cores e texturas e combinações fora da caixa. Assim como desconstruir padrões, também é preciso ter coragem para vestir o que quer sem se importar com o que os outros vão pensar.”

 

KARIN LASMAR(@karinlasmar)

A onda de desconstrução de estilo e padrões não só invade o mundo da moda como também o da beleza! A maquiadora Karin Lasmar conta que cada vez mais uma beleza natural - esqueça aquelas produções carregadas marcantes das temporadas passadas - é o foco entre os profissionais da área. "Estamos nadando contra a maré de uma maquiagem carregada. Sardinhas do rosto, blush queimadinho de sol e um glow especial na pele são elementos que lembram a vida real e estão super em alta”', adianta Karin. Trabalhando na área desde os 14 anos (mas há cinco anos profissionalmente) Karin iniciou sua carreira com uma ajudinha dos amigos. “A troca de experiências é o que me motiva. Nunca tive medo de me jogar. Comecei muito nova e desde então nunca parei', conta. Entre os trabalhos de seu portfólio, maquiar noivas e noivos é um deles. "Maquiar é uma troca afetiva e a personalidade da cliente faz muita diferença. Gosto de estar aberta às sensações e trabalhar com make de casamento é isso: você está ao lado da pessoa no seu momento mais feliz, deixando ainda mais segura e radiante. Isso é muito estimulante!”

 

LARA DIAS (@laradias)

Quando o assunto é emoção, Lara tem histórias de sobra para contar. "O que mais gosto no meu trabalho é ter a chance de conhecer lugares, pessoas e costumes diferentes.  Viajei por cerca de oito horas em um barco para documentar a rotina do Povo Yawanaw, tribo que habita a Aldeia Motum, no Acre. Foi muito emocionante”,  relembra. Aos 26 anos, é formada em jornalismo pela PUC de Belo Horizonte e teve seu primeiro contato com a fotografia enquanto estava na faculdade. Começou com ilustrações e fotografias antigas até pegar gosto de fez por ficar atrás das câmeras. "Sempre tive contato com artes visuais, mas comecei a trabalhar na área com o boom das redes sociais. Pessoas e comidas era o que eu mais gostava de fotografar”, destaca a mineira que hoje trabalha mais focada em fotos comerciais e editoriais. "Já trabalhei com casamentos, gastronomia e retratos. Hoje, é muito mais fácil seguir a carreira de fotógrafa, pois temos muitos recursos ao nosso alcance. O celular, por exemplo, é um ótimo início. Você pode aprender de tudo um pouco de forma rápida e simples.” Lara dá a letra para quem quer dar seus primeiros passos rumo à fotografia profissional: "é a luz que dá vida às histórias e pessoas. Procure sua identidade e transmita-a em uma estética propriamente sua.”

 

HADASSA BAPTISTA (@hadassabaptista)

Se você achou que o elenco não podia ficar ainda mais interessante, te apresentamos Hadassa Baptista - modelo e bailarina de 21 anos que nos faz lembrar que não há desculpas para não fazer o que se gosta. Hadassa equilibra com maestria o foco no trabalho como modelo e a intensa (porém delicada) arte de dançar. "Comecei como modelo pensando em ajudar em casa. Minha família sempre foi meu combustível para chegar onde queria", conta Há 1 ano, ela resolveu raspar os cabelos e entendeu logo de cara que ser diferente está mais do que em alta. "Depois que raspei, muitos trabalhos começaram a surgir. A dança me ajudou muito no condicionamento físico e a manter o corpo, mas bastou uma mudança radical para me destacar", comenta. Além do ballet clássico e contemporâneo e do jazz, ela também canta nas horas vagas. "Começou por apenas diversão, mas ainda quero colocar em prática. Quem sabe um dia!", antecipa. Já estamos ansiosas!