Ana Strumpf & AMARO juntas no Rio de Janeiro

 

Ana Strumpf é uma mulher de muitos talentos: mãe de gêmeos, ela se divide entre projetos que misturam décor, ilustração e moda. Ficou famosa dando cor e deixando mais pop a capa de grandes revistas, como W Magazine, i-D e Vogue Brasil,  e hoje é internacionalmente reconhecida por um estilo próprio e cheio de personalidade, com muita bossa e DNA brasileiro. Não à toa, foi a eleita para criar intervenções divertidas em nossa recente campanha, Concrete Dream, e são seus desenhos que dão o tom à festa de inauguração de nosso primeiro Guide Shop de rua em terras cariocas, no coração de Ipanema. Invadimos o estúdio da artista para mostrar em detalhes seu processo criativo (e seu charmoso escritório de paredes cor de rosa). Confira aqui um vídeo e uma entrevista completa:

Como começou sua relação com a moda e a arte?

Praticamente no dia que eu nasci. Quando eu era pequena gostava muito de desenhar e com certeza foi influência dos meus pais. Meu pai era dono de uma loja de tecidos de decoração e minha mãe era arquiteta. Quando fui para a faculdade, resolvi fazer moda e tentar unir esses dois mundos. Mesmo com um background criativo muito presente, o lugar onde estou hoje, no qual vivo de projetos que misturam arte, décor, moda e ilustração, não foi algo planejado. Simplesmente aconteceu!

Como você começou sua carreira multitask?

Cheguei a trabalhar como produtora e stylist para uma revista de moda quando meu pai me procurou falando sobre um problema recorrente que ele enfrentava na loja: retalhos de tecidos antigos que ficavam parados. Foi quando apresentei para ele o projeto do Garimpo + Fuxique, minha loja que durou seis anos. Eu transformava aqueles retalhos em peças únicas e também convidada amigos estilistas e designers para criarem produtos especiais e coleções cápsula. Foi uma época muito especial! A primeira exposição de arte do Felipe Morozini, por exemplo, foi lá. Infelizmente, comecei a ficar mais presa na parte burocrática do que na criativa, então fechei as portas em 2009. Mas é engraçado como a vida funciona, né? Na mesma semana que fechei a Garimpo + Fuxique conheci meu marido.

Foi quando vocês mudaram para Nova York?

Sim! Ele é cineasta e ganhou uma bolsa para estudar na cidade. Me pediu em casamento e nós mudamos! Eu sempre amei Nova York, é um destino muito inspirador, então aproveitei para sugar cada canto de lá: fiz vários cursos, trabalhei na Anthropologie, fiz pesquisas... Aproveitei o fechamento da minha loja para me redescobrir. Ao mesmo tempo em que absorvia tudo, passei por um momento de ócio criativo e foi aí que minhas ilustrações ganharam força. Eu fazia várias reuniões por Skype e, enquanto falava, ia rabiscando algumas capas de revista (sempre tive essa mania). Era o começo do Instagram, eu postei meus desenhos e eles começaram a rodar. Quando vi, estavam fazendo sucesso no mundo todo.

 
AMARO Roupas

Você também tem alguns projetos de design de interiores, não é?

Isso, normalmente os faço em parceria com a minha mãe, Regina. Além disso, também tenho um programa na TV Vogue, no qual visito a casa de um fashionista e falamos sobre seu estilo de vida, a decoração da casa e ainda de quebra meus desenhos aparecem por lá. O que eu mais gosto é quando eu consigo unir em um trabalho só todas as minhas facetas criativas. Todas elas me ajudam a ser quem eu sou.

Como você desenvolveu seu estilo, sempre pontuado por elementos gráficos e coloridos?

Aconteceu de maneira orgânica e acredito que ainda está em desenvolvimento. Sempre gostei de estampas, itens gráfico e do mundo pop e acho que meus desenhos são uma mistura de todos esses estilos.

Ser mãe mudou seu processo criativo?

Sem dúvidas a chegada do Max e do Noah abriu uma nova porta de referências e meu processo criativo se tornou muito mais rico. As crianças têm um mundo lúdico fantástico  que às vezes passa despercebido pelos adultos. Com os meninos tenho várias ideias diferentes e comecei a me ligar mais no universo infantil para pensar em projetos de design, decoração e moda. Isso abriu um novo caminho e passou a incentivar uma fantasia que antes não era estimulada dentro de mim. No início eles me diziam: “vamos para a Lua mamãe?” e eu não reagia. Agora eu já respondo: “vamos para a Lua sim filho. E como vamos? De foguete? De dragão?”. É realmente muito especial esse contato. 

AMARO Roupas
 

O que mais te inspira?

O Instagram é o lugar certo para screenshots de referência. Guardo os prints no meu celular e depois os uso como inspiração para minhas ilustrações.

Sua família tem uma marca de ketchups! Como foi isso?

Começou com uma ideia da minha irmã, de empreender, e do meu pai, que gosta muito de cozinhar. Ele sempre fez molhos muito bem e acabou encanando nessa história do ketchup artesanal. Uma amiga da minha irmã que trabalha em uma rede de supermercados adorou, encomendou três mil potes e foi assim que começamos. Sou uma grande entusiasta!

Nos conta um pouco das suas intervenções na nossa campanha Concrete Dream?

Tentei trazer um pouco das coisas que eu sempre faço. Gosto muito das estrelas, dos tracinhos e dos pontos geométricos. Trago um pouco de cor também para as imagens – com esse lançamento no Rio de Janeiro, tem tudo a ver adicionar uma corzinha aqui e ali!